Toxina Botulínica em Odontologia Descubra os benefícios desta valiosa proteína.

Botox é o nome comercial mais conhecido da toxina botulínica, mas existem outras apresentações comerciais, como Xeomin e Dysport. Esta proteína age diminuindo temporariamente a intensidade da atividade muscular, e portanto, auxiliando no tratamento de controle de diversas condições presentes na Odontologia, como: bruxismo (apartamento e rangimento dos dentes), cefaleias e dores orofaciais (decorrentes da hiperatividade muscular ou disfunções temporomandibulares), assimetrias faciais (ligadas a hipertrofia  dos músculos mastigatórios) e correção do sorriso gengival(exposição exagerada da gengiva ao sorrir). Sua utilização terapêutica é altamente segura e os seus resultados clínicos surgem poucos dias após a aplicação. Na Odontologia, a toxina botulínica foi devidamente regulamentada para uso pela Resolução 112/11(CFO) desde setembro de 2011. A Dra. Paula Carolina Costa explica de forma simples os principais exemplos do uso terapêutico desta importante proteína.

Uso terapêutico da toxina botulínica
:

Bruxismo
(apertamento e rangimento dos dentes)
Os músculos masseter e temporal são os responsáveis pelos movimentos funcionais da mandíbula, como por exemplo, durante a mastigação. Em pacientes com bruxismo, esses movimentos ocorrem de forma desequilibrada e intensa, principalmente durante a noite, levando ao desgaste irreversível dos dentes ao longo do tempo. A aplicação de toxina botulínica nesses músculos alivia muito a força excessiva que o paciente faz quando cerra a boca ou range os dentes.

Cefaleias tensionais, dores orofaciais de origem muscular ou oriundas de disfunções da articulação temporomandibular:

Quando a toxina é aplicada em pontos de gatilho (que são os pontos doloridos que se espalham para outros locais) nos músculos, auxilia no controle das dores e promove uma melhora significativa na qualidade de vida do paciente, pois diminui de forma significativa a hiperatividade muscular.

Redução da hiperatividade muscular de forma geral
Além de ser uma das causas mais marcantes das dores orofaciais, a hiperatividade muscular causa ainda desconfortos estéticos aos pacientes, como surgimento de marcas ou linhas de expressão. As aplicações preventivas da Toxina Botulínica promovem um relaxamento dos principais músculos mímicos (frontal, prócero, corrugador e orbicular do olho), evitando a formação dessas “temidas” linhas.

Sorriso Gengival:
A exposição gengival excessiva promove desarmonia na dinâmica do sorriso, que pode ser corrigida de maneira muito simples com o emprego da toxina botulínica. A proteína botulínica relaxa os músculos que são responsáveis pela elevação dos lábios superiores. O relaxamento desses músculos (levantador do lábio superior e levantador do lábio superior e asa do nariz) faz com que a exposição gengival ao sorrir seja reduzida, evitando a necessidade de intervenção cirúrgica para a correção do problema, explica Dra. Paula Carolina.

Dra. Paula Carolina Pereira Costa – CROSP 88.383
Graduada pela UNESP- Araçatuba, 2006
Especialista em Ortodontia pelo grupo NEO (Núcleo de Estudos Odontológicos),2013